Sistema de vendas com ERP: por que ter os dois na operação comercial?

Já pensou em integrar seu sistema de vendas com ERP? Essa é a sigla de Enterprise Resource Planning, uma ferramenta de gestão e planejamento de recursos. É comum que as empresas mais ligadas à transformação digital já tenham um em seu negócio. Contudo, nem todas pensam na integração com o força de vendas — um assunto bem importante.

Uma pergunta comum que sempre recebemos é: “se eu já tenho um ERP no meu negócio, porque preciso de um sistema de vendas”?

Pensando em ajudar você a tomar a melhor decisão possível para otimizar recursos, trouxemos a resposta neste conteúdo. Então, é só acompanhar para saber porque ter os dois na operação é tão importante.

Boa leitura!

O que é ERP, na prática?

Já trouxemos a definição teórica de ERP acima. Mas o que ele faz na prática?

Bem, a função principal dessa ferramenta é centralizar os dados da empresa em só local, democratizando o acesso a todos da equipe às informações necessárias para trabalharem bem, sem ruídos e com agilidade.

Com ela, o gestor também consegue administrar toda a empresa com uma visão holística. Finanças, serviços, produção, Recursos Humanos… Tudo se torna integrado e gerenciável em poucos cliques.

Porém, há algo que os ERPs não são tão experts em fazer: microgerenciamento de vendas. Por serem generalistas, acabam limitando um pouco a visão que o gestor precisa ter de uma das equipes mais importantes para a prosperidade do negócio, que é a de vendas.

É nesse momento que o força de vendas, também chamado de sistema de vendas ou programa de Vendas, entra.

O que é um sistema (ou força) de vendas?

A função central desse tipo de ferramenta é organizar a operação comercial de representantes comerciais e gestores que trabalham com vendas B2B. Sendo assim, ela cumpre a proposta que o ERP tem de centralizar dados em um só local — mas faz isso com foco em vendas.

No dia a dia, é comum que quem vende precise acessar informações rápidas sobre:

  • clientes;
  • produtos;
  • promoções e destaques;
  • políticas comerciais;
  • indicadores que norteiem as vendas;
  • relatórios para apresentar à gestão;
  • orçamentos e emissão de pedidos;
  • agenda e mais.

Essas são funções que você não encontra com precisão e dedicação em um ERP. Afinal, o Enterprise Resource Planning tem centenas de outros dados para gerenciar — como logística, emissões de notas fiscais, documentos de Recursos Humanos… E acaba tendo pouco foco em vendas.

Sendo assim, o força de vendas é uma ferramenta dedicada. Mas não se engane: ela não é importante só para quem vende. Ao usá-la, o gestor comercial também consegue acompanhar os passos dos vendedores e dos processos de vendas de perto.

Logo, fica apto a dar direcionamentos estratégicos em tempo real, além de apagar possíveis incêndios antes que aconteçam e organizar o time.

Quais são os benefícios de ter um sistema de vendas com ERP na operação comercial?

Agora que você entende a diferença entre ERP e sistema de vendas, é hora de conhecer bons motivos para ter os dois. Separamos 5 deles. Confira!

1. É possível integrar

Ao pensar em ter duas ferramentas, os gestores e representantes comerciais tendem a imaginar que lidariam com dois trabalhos diferentes. Mas isso não é verdade. É possível integrar um ao outro e garantir uma visão realmente holística do processo de vendas.

Aqui na Mercos, inclusive, contamos com mais de 200 parceiros ERP. Assim, quem opta por ter um sistema de vendas com ERP garante que a integração será feita com qualidade e garantia de satisfação.

2. Emissão de pedidos + nota fiscal

A integração de um sistema de vendas com ERP permite que qualquer pedido emitido seja diretamente encaminhado ao financeiro ou setor responsável. Desse modo, o pedido é realizado e já tem sua nota fiscal emitida, agilizando a logística e a entrega ao cliente.

3. Mais produtividade e menos erros

Usar um força de vendas integrado a um ERP permite que o colaborador não precise mais se envolver em algumas etapas das vendas. Um exemplo disso é a digitação manual de pedidos. Além de tomar tempo, esse processo também está sujeito a erros.

Com a integração, é simples: o representante tira o pedido pelo aplicativo (ou o cliente faz o pedido sozinho pelo e-commerce B2B), ele cai no sistema. Isso economiza um tempo que pode ser dedicado a outras frentes das vendas — como o relacionamento com o cliente e o pós-venda.

4 exemplos de indicadores dentro do Mercos para quem usa um sistema de vendas com ERP: positivação, curva ABC, carteira de clientes e conversão do e-commerce B2B. É possível ver seus gráficos e números, de acordo com os resultados de vendas.
Esses são apenas 5 exemplos de indicadores que você pode acompanhar e otimizar com o tempo que sobra na sua operação: positivação, curva ABC, carteira de clientes e conversão do e-commerce B2B.

4. Redução de custos

A integração de um sistema de vendas com ERP precisa acontecer uma única vez. Após isso, o relacionamento entre representantes, vendedores externos, financeiro, televendas, produção, marketing e logística será otimizado constantemente.

E se você ainda não tem todas essas áreas na empresa, passará a contar com a estrutura centralizada ideal para implementá-las.

Já ouviu dizer que um trabalho de qualidade precisa ser executado uma só vez para dar resultados?

Um time focado, com produtividade otimizada, que conta com automatização e que não perde tempo com tarefas morosas é a prova disso e ajuda a reduzir custos com novas contratações, horas extras, erros e retrabalhos.

5. Adequação ao mercado

A tecnologia é, sem dúvidas, a maior aliada do sucesso. Sem ela, estamos vendo representantes comerciais autônomos fecharem suas operações, bem como gestores se tornarem obsoletos.

Inclusive, dados do Gartner informam que 80% das compras B2B serão feitas digitalmente até 2025. Ter um sistema de vendas com ERP integrado não só prepara você para o futuro, como garante que você atenda os clientes hoje com a exigência que demandam.

Conclusão

Enquanto o ERP é dedicado a centralizar os processos internos de uma empresa, o força de vendas foca o sucesso das vendas. Porém, como você viu neste conteúdo, um torna o outro ainda mais completo.

Ao integrar, o pedido que entra no sistema cai direto nas mãos dos colaboradores responsáveis por eles, sem demoras, erros, ruídos ou trabalhos desnecessários.

Se você tinha dúvidas sobre a importância de ter os dois na sua operação, com certeza agora percebeu as vantagens dessa escolha. Por isso, avalie com consciência qual a melhor dupla de sistema de vendas com ERP para seu negócio e colha as vantagens da sua decisão!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.
Ops! Captcha inválido, por favor verifique se o captcha está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Shares